Tecnologia do Blogger.

Archive for Julho 2009

Com que roupa que eu vou?

Percebam esta bela foto de Rubens Flores publicada hoje no Blog do Torcedor Avaiano, de Esteves Júnior.

Perceberam algo em comum entre as vestimentas de Viáfara, goleiro do Vitória, e a de Luís Ricardo, ala avaiano?

Além de ambas serem da Champs, parece que os dois times não tem camisas manga compridas, já que ambos jogam com aquela camisa colante, que faz o papel de manta térmica.

Coincidência, ou não, das fotos do jogo de ontem que vi, todas estavam de mangas curtas. Na foto ao lado, tirada do portal da RBS, há, inclusive, a imagem de um jogador do Vitória jogando de mangas curtas e...luvas! (Tá ali no cantinho direito, eu sei que não tem como tirar o olho de Viáfara no chão, nesta foto hilária de Flávio Neves)

Inclusive, na hora do hino, os jogadores avaianos estavam...de moleton!

Sei que pode parecer bobagem, numa vitória como a de ontem e numa campanha como a que o Avaí está fazendo se preocupar com isso, mas... é impressão minha, implicância com a Champs, opção dos jogadores ou não tem mesmo a camisa manga comprida?
Para não ser injusto, só martini vestia manga comprida, TODOS os demais estavam com camisas mangas curtas e com a outra camisa por dentro (avaianos de branco e baianos de preto...)
Aliás, aproveito para parabenizar a escolha por atuar com o uniforme tradicional do Avaí, especialmente neste primeiro ano de Série A. É importante sedimentar a imagem-Avaí, para que todos aqueles que não estão acostumados a assistirem jogos do leão, saibam toda vez que virem a camisa listrada que esta é a do maior time de Santa Catarina.

O "Super-Silas" na visão dos não-avaianos

Silas é um dos melhores técnicos que já passaram pela Ressacada. É ídolo não só por seus espetaculares resultados obtidos em campo, mas também por seu caráter e integridade. De desconhecida e criticada aquisição avaiana, Silas, após pouquíssimo tempo, passou a ser visto como peça fundamental para o êxito do Avaí, um respeitável comandante que, com certeza, grafou seu nome na inapagável história de nosso clube.

Isso não se questiona. Ao menos, nunca questionei. Uma meia-dúzia tentou - sem sucesso, felizmente - tirar nosso maestro do cargo, mas não refletia a opinião da massa alviceleste, que deseja ver continuado o trabalho de Silas.

O que me chama a atenção, no entanto, é a opinião coletiva que se instaurou entre os não-avaianos quanto à figura do técnico Silas e o bom momento avaiano. Na imprensa nacional - em reportagens ou programas esportivos -, nos comentários em sites de adeptos de outros times, nas conversas de bar e no boca-a-boca de quem não é avaiano, uma "certeza" se estabeleceu: O Avaí é o Avaí de Silas, a "equipe sem grandes valores, mas bem armada por Silas", e só.

Já notaram, torcedores avaianos, que Silas, aos olhos dos não-avaianos, é um milagreiro que transformou água em vinho, um super-herói que carrega o piano sozinho? Como se o time do Avaí fosse medíocre, como se não houvesse força da torcida, raça avaiana, destaques individuais e um bom entrosamento coletivo, os não-avaianos julgam que os bons resultados nossos são decorrentes das ações de um só homem, de Silas.

Como já dito, a importância de Silas no sucesso avaiano é inquestionável. Sou convicto que grande parte dos méritos de nosso bom momento deve ser creditada ao bom regimento do atual treinador. Minha ressalva é outra: O "mito do Super-Silas", que, queira ou não, diminui a instituição e demais peças avaianas, não corresponde à realidade. Enganam-se aqueles que pensam que só a Silas se deve nosso momento iluminado.

Quando reconhecerão o trabalho realizado pela Diretoria? Quando comentarão sobre o caldeirão que corriqueiramente se torna a Ressacada? Quando creditarão também aos nossos guerreiros os resultados? Quando reconhecerão a grandeza do Avaí Futebol Clube e de todas as suas peças?

Para que o Avaí seja respeitado e não encarado como um clube pequeno que depende de um só homem, alerta-me o Felipe, companheiro de Blog, que devemos, primeiramente, nos manter na Série A. Só com o tempo reconhecerão a grandeza da instituição Avaí, deixando de nos alcunhar de mero "time do Guga" ou de "Avaí de Silas" - não que não nos orgulhemos desses ícones, mas, sabemos, somos muito mais que isso.

O sábio Silas sabe da importância sua e de todos. Não deixará, certamente, que essa errônea impressão coletiva suba à cabeça. E, justamente por essa consciência, é que se tornará - se já não for - um dos maiores treinadores do país.

E você, concorda? Discorda? O importante é opinar!

Avaí incrível, diz Juca!

Como não poderia deixar de ser,o Avaí se impõe na mídia nacional com a força de suas vitórias.

Juca Kfouri, sempre muito simpático às cores alviceleste, deu dois destaques na rodada, a melhor atuação do São paulo no cameponto e a goleada do Avaí:

Já em em Floripa, este incrível Avaí de Guga, e de Silas, fazia 4 a 0 no Vitória, com gols de Marquinhos e Luis Ricardo, aos 9, de pênalti e, aos 16, em contra-ataque, no primeiro tempo, e Muriqui, também de pênalti, no segundo, além de Caio, no fim. Como o que conseguia sua quinta vitória seguida, marca impressionante, e única neste Brasileirão. Melhor: o Atlético Paranaense quis levar o técnico Silas e ouviu um enorme NÃO!

Detalhe, agora somos o Avaí de Guga E de Silas! É o que dá ter um técnico TOP, craque internacional e muito querido pelo mundo do futebol.

Grande, Juca! Volte sempre!

Um espetáculo


Acabo de chegar em casa. Nesse momento, mais do que nunca, parece inútil falar de tática, arbitragem, méritos individuais quando tudo isso se resume à raça. Isso esses jogadores, que por algum motivo não mostraram tudo que sabiam antes, estão mostrando a cada jogo.

Sinto-me orgulhoso de carregar no peito um coração que bate pelo time que esse grupo forma, agora também conhecido no Brasil inteiro como o time da raça.

Amanhã, logo de manhã, teremos textos que falem propriamente do jogo. Por enquanto, só o gostinho da vitória.


"Clube Europeu"? Prefiro o Avaí!

Que o Clube Atlético Paranaense é reconhecido no Brasil inteiro como aquele mais próximo do modelo europeu, todos já sabemos. Que metade do estádio deles é a parte mais moderna do que há em arenas de futebol no Brasil inteiro, todos já sabemos. Que o CAP é, de longe, o paranaense mais parecido com o nosso co-irmão do Estreito em termos de arrogância, isso talvez nem todos saibam.

Sábado, a torcida avaiana lotou seu espaço na Arena da Baixada: segundo a moça da bilheteria, 2600 ingressos vendidos, 1200 segundo o borderô, e quase meia centena de fanáticos ainda ficaram de fora. Definitivamente, uma onda azul.

Toda a modernidade e ar "europeu" do local não impediram que esse número expressivo de avaianos tenha passado por maus bocados em Curitiba. Algumas das atitudes tomadas pela diretoria do Atlético Paranaense foram vergonhosas para um clube que quer ter o tamanho que diz ter. Deixarei aqui o meu relato, até um tanto suave perto de outros que ouvi/li. Vamos a ele:

- bilheterias: assim que chegamos a Curitiba, o primeiro desafio: estacionar. Após procurar um pouco, achamos um. O responsável logo avisou de que aquele não era um lugar seguro, somente pelo fato de sermos avaianos. Recomendou-nos estacionar mais próximos ao nosso setor. Após achar uma vaga na casa de uma senhora, fomos até o setor visitante e... cadê a bilheteria? Fomos informados do absurdo: para comprar o ingresso, era só passar em frente à sede da maior organizada deles e adquirir o bilhete no mesmo lugar em que eles. Tudo igual à Ressacada, caso não fosse o clima de hostilidade - e o fato de um comprovante de matrícula da UFSC (entidade federal) não valer naquela bilheteria, isso é contra a lei, não?

- entrada no estádio: certo, passamos pelo problema de comprar os ingressos. Agora "só" precisávamos entrar. "Só", assim entre aspas mesmo, porque não foi fácil. Primeiro queriam deixar somente uma pessoa de cada vez - detalhe: definiram a entrada justamente em frente a uma poça d'água enorme- , para logo depois haver 5 seguranças fazendo a revista e mais 4 catracas. Pergunto: havia necessidade uma pessoa entrar de cada vez, por cima da poça ainda? Quem dera esse fosse o único problema na entrada.

- abuso de autoridade: tal qual a PM catarinense ao proibir o torcedor avaiano de gozar dentro da Ressacada o time alviouronegroesverdeado com artigos rosas ou qualquer referência do tipo, o Clube Atlético Paraense abusou ao definir o que entra ou não no estádio. Faixa de organizada? Proibido. Instrumentos musicais? Proibido. Bandeira do Avaí? Proibido. Bombom? Proibido também! Ficava pensando: será que só assim a torcida deles consegue se destacar frente a outras? Estava errado: os avaianos conseguiram calar a baixada em determinados momntos- e só na voz.

- setor destinado à torcida visitante: como já foi dito, a Arena da Baixada é o que há de mais moderno em arenas de futebol no Brasil. Mas só pela metade: é um "meio-estádio". A torcida visitante é colocada justamente na parcela em que a modernidade ainda não chegou: sem cobertura, nosso teto era o céu mesmo. Tudo bem, eles não conhecem os avaianos, já acostumados à chuva.

- segurança: a sensação de falta de segurança foi constante. Policiais? Pouquíssimos. Somente na saída é que o Rodam apareceu com algumas unidades. Se algum caso de violência aconteceu, não sei. Mas a probabilidade não era pequena, com tamanho despreparo para nos receber.

Disso tudo, o que se pode tirar de bom da experiência em Curitiba?

É simples. Especialmente em 2009, nós avaianos temos dado um exemplo poucas vezes visto no futebol: o tratamento cordial com todas as torcidas. Na final do Catarinense, torcedores do Avaí e da Chapecoense juntos num churrasco, na música, na festa. No Brasileirão, a mesma coisa: isso você pode notar na imagem ao lado, oportunamente feita pelo Esteves Junior.

Não há algo que possa mudar nossa identidade de simpatia, pois nós somos Florianópolis, Santa Catarina. Somos sim, chatos pelo nosso time - mas não tiraremos o direito de o seres pelo teu também.

Tudo isso me fez pensar ainda mais na Simbiose que nos acomete, e em como o verdadeiro clube do futuro é o Avaí - não aquele rascunho de Europa visto na semana passada.

Mas isso é assunto para outros posts, só quis relatar a viagem à Curitiba justamente hoje pois temos jogo, mais um dia para afirmar toda nossa soberana avaianidade que segue surpreendendo o Brasil.

Que a Ressacada pegue fogo. Pela paz, pelo esporte.





Como está Válber?

Acredito que grande parte da torcida avaiana tem curiosidade pra saber como andam nossos ex-atletas que partiram para o exterior. Pouquíssimo ou nada se fala sobre os jogadores que, após se destacarem no Avaí, trocaram o Carianos por longínquos países do Velho Mundo.

Movido por esta curiosidade, procurei brevemente sobre o meia Válber (foto), responsável direto por nosso acesso à Série A, principalmente por sua inesquecível performance no primeiro turno da Segundona do ano passado. Rápido e habilidoso, o ex-camisa 10 avaiano contribuiu para aquela conquista com 6 gols, 8 assistências e muitas jogadas geniais, que, certamente, ecoarão em nossa memória.

Válber trocou o Avaí pelo Daejeon Citizen, da Coréia, e, dando uma olhadinha em sites deste clube asiático, conclui que o meia, atualmente vestindo a camisa de número 13, anda atormentando as defesas adversárias daquele lado do mundo.

Constantemente, os sites de torcedores do Daejeon Citizen se referem a Válber como "importante criador de jogadas", "jogador extremamente criativo" e como "um dos mais talentosos jogadores do Daejeon". Numa oportunidade, o torcedor coreano diz que "jogando sem Válber, não é coincidência que o Daejeon não tenha marcado gols em duas partidas".

Em contrapartida, um relato pós-jogo do site coreano conta que, em determinada partida, após um cruzamento, Válber, de frente para o gol sem goleiro, cabeceou para baixo e, depois de a bola picar, a mesma passou por cima da trave. "Isso foi razoavelmente chocante e completamente fora dos padrões de um dos melhores jogadores do Daejeon". Cabeceio nunca foi o forte de Válber, certo?

Só pra ter certeza do sucesso de Válber na Ásia, estabeleci comunicação com um torcedor do Daejeon Citizen chamado Liam, o qual me relatou:
Válber é um dos jogadores top do Daejeon. Nós estamos muito felizes com ele. Infelizmente, ele teve uma lesão feia e, no momento, não está jogando.
Ele é muito talentoso e nossa principal arma para criar gols. Quando ele não joga, nós não marcamos gols.
Boa sorte para o seu time, mas eu espero que vocês não tirem o Válber de nós.
Aparentemente, Válber continua sofrendo com uma série de lesões, as mesmas que interromperam sua extraordinária forma no Avaí. Mesmo assim, vem sendo destaque no Daejeon, que, infelizmente, não vem bem das pernas na K-League, como é chamado o Coreanão (ocupa a antepenúltima colocação do certame). Tendo atuado em poucos jogos no torneio, o meia-atacante marcou um gol na competição.

Curiosamente, Valber, outrora o único brasileiro no elenco, tem, agora, como companheiro de clube, o atacante Alexandre, ex-Barbie, recém-contratado.

O jogador ex-Avaí, disse Moisés Cândido na época da transferência, ficará por dois anos no clube asiático, por empréstimo. De acordo com a CBF, Válber Mendes Ferreira tem vínculo com o Avaí até janeiro de 2012. Coisa linda!

(PS: Não falo coreano. A maior parte das informações aqui prestadas foi retirada do blog http://daejeoncitizen.blogspot.com, do site da K-League, de fóruns de discussão e da Wikipedia)

15ª Rodada não poderia começar melhor!

Não poderia ter começado melhor a décima quinta rodada do campeonato brasileiro para o Leão. Em sete jogos, sete resultados favoráveis.

Dos nossos concorrentes que se encontravam no início da rodada na zona da degola, nenhum deles pontuou. Quatro jogos e quatro derrotas: Náutico, Fluminense, Atlético Paranaense e Sport.

Um pouco acima da zona perigosa nossos concorrentes foram um pouco melhor, mas nenhuma vitória, apenas empates: Botafogo, Coritiba e Santo André.

Até mesmo o único time acima do Avaí na competição que julgo ser concorrente neste “campeonato paralelo”, o Barueri, perdeu, apesar de ter dado muito trabalho ao Inter em pleno Beira Rio. Desta forma o time da grande São Paulo pode ser ultrapassado pelo Leão ainda nesta rodada.

O time da ilha mais formosa do Brasil não terminará a rodada abaixo da 11ª posição que ocupa hoje. Mas poderá chegar até a 7ª colocação, superando inclusive o Barueri, alcançando assim a melhor posição entres os clubes estreantes na Série A e se posicionando também no topo dentre os que lutam pela permanência na elite.

Que venha o Vitória “pois a ordem é vitória, vencer, vencer”.

Andra Materiais Elétricos Informa

Os recados paroquiais do dia:


A Mancha Azul confirma viagem para o jogo entre corinthians X AVAI em São Paulo. A partir das 22:00hrs do dia 01/08 haverá uma confraternização em sua sede pra se reunirem e partirem para o estadio do Pacaembu. A saida está prevista para a 01:00 da manhã!


O custo é R$80,00 por pessoa, sujeito a alteraçoes. Logo, para confirmação, reservas e dúvidas usem o telefone: 8465-0884 (Johnatan), 8402-9485 (Guilherme). É o que informa a mancha Azul na comunidade do Avaí no orkut.


Menos um argentino na lista de Silas! É que o lateral-esquerdo Sorin anunciou sua aposentadoria do futebol O argentino, de 33 anos, pouco jogou nesta temporada e sofria com o alto número de contusões e a dificuldade de estar na forma física ideal.


Se o medalhão argentino pendurou as chuteiras, o futebol catarinense está próximo de anunciar a contratação de um medalhão carioca. É o que diz o blog do Imbituba, da segundona, que em sua lista de possíveis contratados figura o nome do meia de ligação Beto, aquele mesmo que passou por Flamengo e Vasco. A contratação é´possível de acontecer, já que o Imbituba mantem parceria com o CFZ de Zico. É esperar para ver...
Cacildis! Há quinze anos atrás o Brasil perdia o mangueirense mais avaiano do mundo: Antônio Carlos Bernardes Gomes, o Mussum, se pirulitou-se em 29 de julho de 1994. Seu coração não aguentou ver a jornada no leão na segunda divisão do catarinense daquele ano e acabou indo para o céu antes mesmo de ver nosso time ser campeão e voltar pela porta da frente - sem janelas - para o lugar que nunca deveria ter saído. Grande Mussa!

Tá ai na internet, não é sócio e quer ver o jogo do Avaí amanhã a noite? Fácil! Pegue seu cartão Visa e compre pela internet pelo FutebolCard!

O FutebolCard é um sistema revolucionário de venda de ingressos de partidas de futebol através da utilização de novas tecnologias, e foi concebido com o objetivo de facilitar a compra do seu ingresso e o seu acesso aos estádios de futebol, utilizando apenas o cartão de crédito VISA.


Mais do que facilitar a sua vida, o FutebolCard atende, em todas as suas fases, a legislação esportiva do Futebol, bem como o recente estatuto do torcedor. Cadastrando-se no Portal FutebolCard você adquire seu ingresso pela internet, leva seu cartão Visa para o estádio e se utiliza apenas dele como forma de acesso.

É rápido, fácil e seguro.


Só não é mais rápido, fácil, seguro e barato do que ser sócio! Então, o que está esperando? Já somos 11 mil sócios pagando menos para assistir a jornada histórica do leão na Série A!

Jogo de Iguais



Hoje a noite acontece em Florianópolis um jogo de iguais. Felizmente o Avaí não está em campo.


Com a ficha das duas equipes, acho que o empate seria o resultado mais justo...
Tag : ,

Avai garante Roberto até 2012!

A aposta de Moisés Cândido deu certo e apesar de ter jogado poucos jogos e poucos minutos, Roberto caiu nas graças da torcida pelo seu futebol que une talento, determinação e muita raça, requisito indispensável em quem pensa vestir a camisa do leão da ilha.

Não à toa, o Avaí rescindiu seu antigo contrato com o atacante e estabeleceu um novo, possivelmente com uma multa rescisória maior do que a anterior.
É o que mostra o BID, da CBF, que registrou a alteração na sexta-feira passada, dia 24 de julho. Pelo novo contrato, Roberto é jogador do Avaí até 30/07/2012. Quem quiser tirá-lo do Leão da Ilha, terá que desembolsar uma boa graninha!

Segundo o wikipédia Roberto Cesar Zardin Rodrigues nasceu em Sapiranga, interior do Rio Grande do Sul, mas segundo o blog do Vandrei Bion ele é de Nova Trento (confio mais no Vandrei!). Roberto tem apenas 23 anos, mas já rodou bastante pelo Brasil e exterior. Começou no time das letras em 2003, transferiu-se para o Niigata (Japão) em 2004, teve uma curta passagem pelo Atlético de Ibirama, em 2005, retornando ao time do lado de lá, onde ficou até 2007, ano em que passou por Cabofriense e Macaé. E 2008 permaneceu no futebol carioca, com passagem pelo Cabofriense e pelo Tigres. Estava no Cabofriense até ser resgatado por Zunino e Moisés Cândido.

E, você, concorda com o novo contrato de Roberto? Avaí fez bem em garantir a sua permanência?

Método Roberto Fernandes

Todo mundo se lembra do time do vestidinho rosa...

Pois o time da Barbie tem mais novidades!

Eles voltarão a campo hoje a noite sem o goleiro que consideram titular. Mas, a torcida do time dos vestidinho não precisa se preocupar pois Roberto Fernandes tem um trunfo nas...bem, eu diria mangas, mas vestidinho não tem mangas...

O vídeo abaixo foi retirado do DVD Motivacional de Roberto Fernandes e faz parte do capítulo "A preparação de goleiros".





A vantagem deste método é que pode-se usar a luva combinando com o vestidinho, garante o treinador!

ATUALIZAÇÃO: A namorada do Rafael, que não por acaso torce para um determinado time alvinegro-esverdeado-rosa, manda avisar que vestidinho pode sim ter mangas, ao contrário do que eu imaginei. Parece que vem uniforme novo por aí!

Olho no Lance!

" Olho no Lance!", como diria o inoxidável Sylvio Luiz!

O repórter Bernando Carvalhal, do tradicional periódico esportivo, fez uma bela reportagem sobre o Avaí que já está disponível no site.

A reportagem intitula-se "Conheça o planejamento de sucesso do Avaí" e elogia o clube por continuar apoiando Silas mesmo após alguns resultados negativos no início da competição.

A repórter entrevista Zunino, que confirma que nunca passou pela cabeça da diretoria do Avaí questionar o trabalho de Silas ou demiti-lo do cargo. O Presidente confirma ainda que nossa meta para este ano é a Copa-Sulamericana, embora reconheça todas as nossas dificuldades.

Vale a pena dar uma espiadinha!

Já o leitor André Rodrigues nos passou outra dica interessante! É a coluna de Humberto Peron, da Folha de São Paulo. Peron é jornalista esportivo, especializado na cobertura de futebol, redator da revista Monet e colaborador do Diário Lance. Escreve para a Folha Online às terças-feiras.

Confira o que ele diz sobre o Avaí em sua seção "O que deveria ser destaque":


Merece destaque a reação do Avaí. O time, que até poucas rodadas segurava a lanterna do Campeonato Brasileiro e já era apontado como um dos rebaixados, engrenou uma sequência de vitórias. Muito dessa reação se deve à diretoria do clube, que manteve o técnico Silas no cargo apesar dos tropeços iniciais. Fato raro, os dirigentes catarinenses não esqueceram do longo trabalho do técnico que foi responsável pelo acesso do time e por tirar o Avaí de um longo período sem títulos do Campeonato Catarinense.
Duas boas dicas de leitura!

Ricardo Oliveira no Avaí?

Com a seqüência de vitórias e as boas atuações do Avaí o assunto contratações foi aos poucos saindo de cena. Uma notícia, vindo diretamente da Série B, publicada no portal nominuto.com trás de volta as especulações.

Como o blog Nobre Azurra, do seu Cunha, já adiantou, o volante Ricardo Oliveira, considerado uma das melhores contratações do América para a Série B do Brasileiro, capitão da equipe, pode estar deixando o América e se transferindo para o Avaí.


O jogador, que vinha recebendo propostas insistentes do Náutico foi aconselhado a “não embarcar” na “jangada” pernambucana. Desde a chegada de Ricardo Oliveira no América, o atleta fez constar em contrato que não haveria empecilho caso surgissem propostas de equipes fora do Brasil e da Série A.

O Avaí, além de disputar a Série A, representaria um retorno a Santa Catarina, onde Oliveira foi destaque defendendo o Joinville. Ricardo Oliveira havia recebido propostas de vários clubes e só foi para o América em deferência ao dirigente Paulinho Freire, seu amigo.

O fato é que a relação Ricardo Oliveira/América ficou muito desgastada após um desentendimento entre o atleta e o atual treinador do time, Guilherme Macuglia. Ricardo ficou chateado por sequer ter sido relacionado para a partida contra o Juventude, na última rodada.

O jogador saiu do treino e teria arrumado todos os seus pertences e retirado do CT do clube. A reportagem do portal nominuto ouviu o superintendente de futebol Gilberto de Nadai:

“Numa família existem desentendimentos, imagine num grupo de mais de 30 pessoas. Conversei com o Ricardo Oliveira e ele realmente ficou chateado, pois não tinha problema nenhum e não queria ser poupado, como alegou o técnico, por isso a chateação do atleta. Pode ter certeza que as coisas serão resolvidas, de uma maneira ou de outra, pois acima de tudo e de todos está o América” disse Gilberto taxativamente.

Sabemos que o processo de contratação e reforço do elenco está sendo feito com todo o cuidado e competência por Moisés Cândido, Silas e parcerias, todos profissionais devidamente qualificados e conhecedores da realidade financeira do Avaí. Mas, já que sondamos jogadores do nível (e custo) de um Mineiro e Marcos Assunção, não nos custa nada indicar outro grande volante que atualmente encontra-se sem clube: Cláudio Maldonado.

Sim, é só outro sonho de corneteiro, afinal, conhecendo os limites financeiros do Avaí é muito mais provável a contratação de Ricardo Oliveira do que Maldonado, mas o fato é que o chileno de 29 anos está sem time.

Maldonado notabilizou-se como um volante seguro, de técnica apurada, ótimo passe e perfeito nas roubadas de bola. O ex-jogador da seleção chilena esteve no Santos até 2007 quando transferiu-se para o Fenerbache, da Turquia.

O jogador foi cotado para retornar ao Brasil pelas mãos de Luxemburgo, que o queria no Palmeiras, mas o contrato de Maldonado com o time turco iria até julho. Luxemburgo foi demitido do Palmeiras e o agora assumiu o Santos. Aliás, Maldonado é genro de Luxemburgo.

Segundo a imprensa, o jogador estava insatisfeito e acertou o desligamento nesta início de julho com clube de Istambul. Maldonado não estava sendo muito aproveitado no time titular e isso acabou desgastando seu relacionamento com o restante da equipe.

O chileno teria uma proposta de um time francês nas mãos, mas não descartaria seu retorno ao futebol brasileiro. Se voltasse para o Brasil, muito provavelmente o destino de Maldonado seria o Santos de Luxemburgo. Contudo, com a chegada de Émerson, contratação exigida pelo prórpio Luxa, parece que as portas santistas se fecham para Maldonado, momentâneamente...
Portanto, já que é para sonhar, não custa nada sonhar vê-lo com a camisa avaiana! Quem sabe Nossa Senhora da Ressacada não opera esse milagre!

Mas, vamos colocar os pés no chão e voltar à realidade! E, você, torcedor avaiano, o que acha da possível contratação de Ricardo Oliveira, destaque do Joinville e do América de Natal na Série B?
--------------------------------
ATUALIZAÇÃO: Segundo Paulo Branchi, da Rádio Guarujá, o Moisés Cândido negou a contratação de Ricardo Oliveira.

Andra Materiais Elétricos Informa

Os recados paroquiais do dia começam com uma notícia triste...

Segue nota publicada por Esteves Júnior, no Sou Avaiano:

É com pesar que comunico o falecimento do Sr. Lélio Mário da Costa, ex-funcionário do Besc, um grande avaiano e pai do Hercílio Costa Neto, Diretor de Esportes Olímpicos do Avaí Futebol Clube. Lélio atuou junto com o Avaí por décadas. Seus amigos lembram de um episódio onde ele, na década de 70, levou o uniforme para o Avaí jogar até a cidade de São Miguel do Oeste.
Saudações Avaianas
Esteves Junior

Ele foi hospitalizado na última sexta com quadro de pneumonia, no Hospital de Caridade, vindo a falecer às 21h30 desta segunda, 27 de julho. Seu velório acontecerá no Cemitério do Itacorubi e o sepultamente está marcado para às 16hs desta terça no mesmo local.


Nossos pêsames aos familiares neste momento de luto e tristeza.

Enquanto a vida segue, Grizzo, ex-craque dos gramados e um dos ídolos avaianos da seleção de 1998, despede-se do comando do Hercílio Luz, conforme divulga o blog de Rodrigo Santos. O ex-jogador que estreiava coo técnico acabou sendo demitido , após a derrota em casa para o Próspera, neste domingo. Embora o time não tem mais chances de conquistar o título do turno, tem uma boa possibilidade de ganhar vaga no quadrangular pelo índice técnico.

Mais dança de técnicos! O ex-treinador do Avaí Luis Gonzaga Millioli acaba de ser dispensado do Camboriu, na Divisão Especial. Com 7 pontos conquistados e a não permanência no bloco de classificados (quatro clubes irão para o Quadrangular - 2ª Fase e o Camboriu está na 7ª colocação), Gonzaga Milioli sai para dar lugar a Lio Evaristo, técnico paranaense e com 3 passagens pelo Metropolitano de Blumenau. A notícia é do blog Stadion.

E por falar em ex-técnicos avaianos parece que tudo vai se ajeitando para Abel Ribeiro. Aos 51 anos, o ex-ponta esquerda e ex-técnico da dupla da capital foi demitido do Moto Club-MA, que disputa a Série D do Campeonato Brasileiro e de quebra foi proibido de deixar o hotel.

Abel deu uma entrevista para o Portal Futebol Interior: “O presidente Cléber Verde (Deputado Federal pelo PAN - Partido dos Aposentados da Nação) me pagou apenas a metade do que me devia e a passagem para Florianópolis, onde eu resido. Mas quando eu fui sair, não me deixaram. O presidente não tinha pago as diárias, o restaurante...”.
Abel Ribeiro chegou ao Moto Club no dia 4 de junho e ficou no comando do clube por 45 dias. Mas não via a cor do dinheiro há quase um mês. Não é fácil!

O blog Flagrantes do Cotidiano deu a dica e fomos lá conferir! Acaba e ser inaugurado um blog contra a diretoria do Marcílio Dias, rebaixado duas vezes este ano, no Catarinense eainda caiu para a Série D do Brasileiro. É o Blog Fora Crispim, em referência ao presidente do clube, Carlos Crispim.

Na semana passada, após a partida contra o Brasil de Pelotas, que rebaixou o clube itajaiense, os muros do estádio do Marcílio também foram pichados. Entre as frases pichadas no fim de semana estão: “Fora Diretoria”, “Fora Crispim, Clóvis e Aldo” e “Cadê os 100 mil da Prefa?”, referente aos R$ 100 mil doados pela Prefeitura Municipal a Associação Amigos do Marcílio Dias, que segundo o clube, foi destinada as categorias de base.

E mais uma vez o destaque da charge do dia vai para Zé Dassilva, do Diário (quase nada) Catarinense, que anda sofrendo com o seu Criciuma! Não é fácil! É ó clicar ai do lado que abre a imagem maior...
Quer ver sua foto publicada no jornal do Avaí? É fácil! É só enviá-la para o e mail jornaldoavai@yahoo.com.br até dia 30! Junto com a foto mande uma pequena legenda para identificação! As fotos que tiverem boa qualidade estarão sendo publicadas nas próximas edições.

Rafa Costa, o Pelezinho, já anda lustrando as chuteiras para o confronto contra o Corinthians, que se aproxima. O atleta vem treinando exaustivamente novos golpes de capoeira para substituir o velho golpe da voadeira, executado com maestria pelo garoto no último encontro entre Corinthians e Avaí, no Pacaembu.


E você, vai perder essa? O Avai comunica aos torcedores interessados em adquirir ingressos para assistir o jogo Corintians x Avai, domingo (02) no Estádio do Pacaembu, devem entrar em contato com o e mail avai@avai.com.br. Certamente o Corinthians deve enviar a cota de ingressos de visitantes para a secretaria do clube.


Isso, claro, porque o jogo será no Pacaembu! Para o jogo do returno, na Ressacada, a procura por ingressos será intensa, já imaginou? Vai ficar de fora dessa? A melhor forma de garantir o seu ingresso é associando-se ao Avaí!

É mais seguro e mais barato, além de ser essencial para a manutenção das contas de nosso time!

Por que não Caio?

Em post recente do Felipe, foi levantada uma pertinente dúvida quanto ao posicionamento dos jogadores Eltinho e Luiz Ricardo, se estes, teoricamente alas, não estariam exercendo, no atual esquema avaiano, uma função semelhante à dos antigos pontas, já que atacam com muita força.

Na minha opinião, os alas avaianos têm atuado como verdeiros alas, como impõe a formação com três zagueiros. Ou seja, são, de fato, meias: possuem liberdade para atacar, mas também deveres defensivos. Se não atacassem tão ostensivamente como têm feito, os alas avaianos seriam laterais comuns, contraindo o time pra um defensivo 5-3-2 e empurrando-nos para o próprio campo.

Visivelmente, o atual ala-direito, Luiz Ricardo, posiciona-se mais à frente que o ala-esquerdo, Eltinho, seja porque é cacoete seu, atacante de ofício, seja porque o volante pela direita, Ferdí - ou, eventualmente, Marcus Winícius -, é mais defensivo que o volante canhoto, Léo Gago.

Já aduzi em diversas oportunidades que vou respeitar sempre as escolhas de Silas, que este goza de respeito e confiança imensuráveis - principalmente depois desta série de vitórias -, mas, depois de analisar os últimos jogos do Avaí, pergunto: Por que não Caio (foto acima) na ala-direita?

Luiz Ricardo (foto à direita), nos últimos confrontos, destoou do resto do conjunto. Suas atuações, exceto no jogo contra o Sport, deixaram a desejar. Caio, em contrapartida, sempre que entrou, foi bem.

Indiscutivelmente, Caio tem maior mobilidade, melhor passe e também melhor marcação. É capaz de ser o motorzinho do meio-campo, roubando bolas e armando velozes contra-ataques. Seus maiores defeitos são a baixa estatura e a finalização, o que, convenhamos, não são as características principais que se esperam de um ala.

Entre ambos, para atuar como ala pela direita, optaria, sem titubeios, por Caio. Embora reconheça a qualidade técnica de Luiz Ricardo, o "motorzinho", ao meu ver, tem muito mais condições de vestir a camisa 7 do Avaí.

E pra vocês, quem merece a titularidade? Caio se adaptaria a esta função? Por que escalá-lo? Por que não escalá-lo?

- Copyright © vidAvaí - Skyblue - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -